Blog

Distrito Bossa Nova em Itaipava

Dia 10 de fevereiro no Parque Municipal de Itaipava

Às 19:00 h

Show Sonhos e Planos - Insisto em Navegar

Bossa, a Nossa Carioquice

 

Bossa, a Nossa Carioquice – Homenagem aos 60 anos da Bossa Nova

Agora é com BRASÍLIA

Convidados – Maestro Eduardo Carvalho e

Tenor Cassiano Barbosa

Músicos:

Felipe Togawa – teclados

Pedro Miranda – contrabaixo

Renato Galvão – bateria

 

Dia 13 de setembro de 2018 no Feitiço Mineiro às 21:30h

Couvert R$ 25,00

CLN 306 Bloco B Lojas 45/51

Reservas: (61) 3273-3032

 

Dia 14 de setembro de 2018 na GALERIA MUNDO VIVO às 21:00h

Couvert R$ 15,00

CLN 413 Bloco D loja 19

Reservas: (61) 98331-6004 ou

(61) 98467-2131

Bossa, a Nossa Carioquice

Dia 11 de agosto às 19:00 h no Beco das Garrafas.

Bora lá.

 

Little Club dia 21 de julho de 2017

 

 

 

 

 

 

20246338_1552441851484599_2676656837652044688_n

Este show foi uma festa.

 

DSC_0941  DSC_0930  DSC_1007

DSC_0981 DSC_0990 2  DSC_0995

 

 

Lançamento IMMUB.org Instituto Memória Musical Brasileira

Ocorreu 28 de junho no Teatro Oi Flamengo

IMMUB

IMMUB

 

José Francisco Olivas, Renato Alvim, Chico Alves, Andreia Carneiro e João Carino.

Curso Imersão ao Belting Contemporâneo

Curso de Imersão ao Belting Contemporâneo

Instituto Marconi Araújo, São Paulo

1 e 2 de Julho de 2017.

Belting Contemporâneo

Belting Contemporâneo

Turma de Imersão ao Belting Contemporâneo.

Turma de Imersão ao Belting Contemporâneo.

 

Homenagem a Márcio Proença

 

A Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria de Cultura/FAN, e o Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB) vão fazer uma homenagem ao compositor niteroiense Márcio Proença - falecido no último 21 – no domingo, 28 de maio, às 11h, no Solar do Jambeiro.

Na ocasião, haverá a exibição do documentário Retrato Cantado, sobre a vida de Proença; além de uma benção seguida de palestra com filósofo e pastor Alexandre Cabral; e a apresentação de diversos músicos da cidade, como Alfredo Del Penho, Chico Batera, Marcus Lima, Guinga, Ricardo Gilly, Rosana Sabença, Andreia Carneiro, Mauro Costa Jr, Lê Santana, entre muitos outros.

Sobre o Documentário…

Produzido pela Carino Produções, em parceria com o selo Niterói Discos, o trabalho traz 10 composições jamais gravadas por Proença, com direito a solos exclusivos de 14 violões. O projeto, que contou também com o lançamento de um CD no Teatro Municipal de Niterói, faz uma justa homenagem ao grande compositor que teve temas cantados por nomes de peso da música brasileira como Gonzaguinha, Lucinha Lins, Beth Carvalho, Cauby Peixoto, entre muitos outros.

 

Márcio Proença…

Clique para ampliar

Márcio Proença faleceu aos 73 anos, deixando uma legião de amigos e fãs, além do eterno respeito e carinho de sua cidade natal, Niterói (RJ). Atuante em vários movimentos ligados à MPB, notadamente nos anos 1970 e 80, deixou seu nome marcado em mais de 100 canções gravadas, por parceiros e amigos de toda a vida.

Vicente Márcio Proença Pereira, ou simplesmente Márcio Proença, nasceu em Niterói no ano de 1942. Autodidata em sua formação artística foi cantor e compositor apaixonado. No Colégio Militar Ginásio Barão de Paty do Alferes, onde foi estudar, acabou fazendo amizade com Gonzaguinha e o compositor Paulo Emílio, também alunos. Iniciou a carreira musical aos 17 anos de idade, teve seu primeiro registro como compositor com a gravação de sua canção A palavra que ficou, por Áurea Martins.

Na década de 1970, fez parte do Movimento Artístico Universitário (MAU), ao lado dos velhos amigos Paulo Emílio e Gonzaguinha, além de Aldir Blanc e Ivan Lins, entre outros. O MAU, que no início se resumia a reuniões na casa do psiquiatra Aluízio Porto Carreiro de Miranda e sua mulher, Maria Ruth, na Tijuca, com o tempo ganhou destaque em festivais de música e teve seus integrantes contratados pela TV Globo.

Na década de 1980, lançou os LPs Marcio Proença (1981), com a participação de Lucinha Lins, Aldir Blanc e Gonzaguinha, e Eterno diálogo (1984), este último com a participação de Lucinha Lins e Nana Caymmi. Em 2004, gravou pelo selo Niterói Discos, o CD Facho de Luz, produzido por João Carlos Carino. O disco contou com a participação de Leila Pinheiro, Simone Guimarães, Paulo César Pinheiro, Guinga, Ivor Lancellotti e Beth Carvalho, além de José Luiz Lopes, seu parceiro em todas as composições do disco. Dez anos depois, o artista lançou, no Teatro Municipal de Niterói, o álbum Retrato Cantado.

Para Aldir Blanc, “Márcio era o legítimo compositor popular, coisa que muito moleque com verba e campanha publicitária tenta, mas não emplaca. Enquanto houver um dancing, alguém pelo golpe dos vinte, enquanto houver saudade, saideira e uma mijada na árvore de madrugada, enquanto a mentira de um esbarrar na sinceridade do outro, enquanto alguém pedir a guimba, enquanto houver um garçom apagando a luz e a possibilidade de uma cena de sangue, enquanto houver garrafa, enquanto houver barril, enquanto houver paixão, um copo e uma dor intensa, vale a rima, alguém há de cantar Márcio Proença”.

Serviço

Homenagem a Márcio Proença
Exibição do documentário Retrato Cantado e show musical
Data: 28 de maio, domingo
Horário: 11h
Classificação: livre
Entgrada franca

Local: Solar do Jambeiro
Endereço: Rua Presidente Domiciano, 195, Ingá, Niterói
Telefone: (21) 2109-2222

Distrito Bossa Nova na Barrinha

14264152_1083319128415932_8696497756578589761_n

De volta na Terceira Edição

Com a direção artística de Renato Alvim
Apresentamos,

BOSSA – a nossa carioquice, não tomamos conhecimento do que alguns poucos afirmam que a música brasileira está numa entressafra de criatividade. 
Através do desfile das canções serão apresentadas histórias e tipos humanos e seus conflitos amorosos, somados aos casos de amor às belezas naturais da cidade do Rio de Janeiro, inspiradora da Bossa Nova.
Assim, levaremos o frescor e a perene beleza da eterna Bossa Nova, para alegrar, e trazer à tona o briho e a riqueza de letras tão lindamente construídas e interpretadas pelo requinte e pela paixão da cantora Andreia Carneiro.
Ressaltamos pérolas como Influência do Jazz de Carlos Lyra, Balanço Zona Sul de Tito Madi, Água de beber de Tom Jobim e Vinícius de Moraes e Rio de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli.

Com Andreia Carneiro – voz
Serginho Pinheiro – teclados
Rubens Cardoso – baixo
Julio Diniz – bateria

Bossa, a nossa carioquice 31 de julho de 2016 no Beco das Garrafas

 

Bottles 31 julho 2016

 

Encerrando julho cheio de Bossa. 

Onde? no Bottle´s Bar – Beco das Garrafas 
Na Rua Duvivier, 37 Copacabana
Reservas 96800-8683 e 2543-2962 das 14:00 até 18:00
 
– As reservas serão válidas até 30 minutos antes do Show.
– A casa estará aberta uma hora antes do show.
– O Couvert artistico somente poderá ser pago em espécie.


O point da Bossa Nova, desde a década de 50.

Com a direção artistica de Renato Alvim, 
Andreia Carneiro e sua banda – Serginho Pinheiro, nos teclados; Rubens Cardoso, no baixo e Julio Diniz, na bateria, voltam ao Bottle´s Bar para apresentar o show Bossa, a nossa carioquice. 
A Bossa Nova pede passagem e um caminho de pérolas e aberto.
Venha participar conosco desta experiência.